Dia 30 Novembro 2021 e o final do NaNoWriMo

final do nanowrimo 2021

50 412 palavras a dia 30 de Novembro de 2021. E, assim se completa o NaNoWriMo de 2021… mas não ‘Os Metamorfos’.

Podem reler o artigo sobre o poder no NaNoWriMo a funcionar em ‘Novembro é para Escrever‘. read more

Um ponto de situação do NaNoWriMo de 2021

ponto de situação

Depois de uns dias cheios de actividades de Halloween, sobre as quais podem ler mais aqui…, avancei para o próximo projecto.

Não porque tivesse pressa em esquecer o Readathon… não tinha. Foi bem divertido. Mas, porque dia 01 de Novembro marca o primeiro dia do desafio das 50 000 palavras, escritas durante o mês de Novembro, como alertei no artigo ‘Novembro é para Escrever‘… read more

Leituras de Halloween e o meu primeiro Readathon

readathon

Halloween… já estou a dever uns dias a este texto, eu sei… mas, não podia deixar passar o tema em branco.

Porquê?

Primeiro,

porque passei uma série de tempo a preparar coisas alusivas ao tema, e não quero deixar de as mencionar… read more

Escritos do dia, Journaling e NaNoWriMo a decorrer

escrever

As últimas semanas testemunharam a alteração do meu journaling matinal. Planeamento do último trimestre do ano, Readathon do Halloween, Novembro, muda a vida, começa o NaNoWriMo…

*** read more

Sobre “Never Let Me Go” de Kazuo Ishiguro

never let me go

Um livro que adoptamos nunca é um livro que trazemos para casa. Um livro que compramos nunca é um livro para encher uma estante. Um livro que lemos nunca é uma história com que estamos em contacto.

“Never Let Me Go”, de Kazuo Ishiguro, veio da Feira do Livro de 2021, do lado dos alfarrabistas, com direito a anotações a lápis e tudo [inserir emoji com olhinhos em coração]. read more

O poder do acesso a livros infantis

dia da biblioteca escolar

Hoje, em Portugal, celebra-se o Dia da Biblioteca Escolar. Outubro sendo considerado o Mês Internacional da Biblioteca Escolar.

Celebrar, e facilitar, o acesso a Livros é (sempre) algo importante.

Assim, read more

Escreve o que quiseres

género literário

Durante muito tempo acreditei que não podia escrever nada que não fosse ficção longa para me poder considerar “escritora” [incluir uma gargalhada aqui].

Depois de um período difícil, e intenso, na minha vida profissional oficial, dei comigo a escrever um livro de uma assentada só. Foi uma surpresa até para mim(!?!), mesmo considerando que andava a moer a ideia há vários anos. read more